Trilha Castelhanos em Ilhabela é ideal para os amantes do off-road

Muita emoção, adrenalina, técnica e habilidade marcam a trilha de Castelhanos, em Ilhabela, no litoral norte de São Paulo. Esse percurso é realmente para os amantes de off-road que desejam muita aventura com seu 4X4.

Recomendamos que somente pilotos com experiência em carros com tração conduzam o veículo na trilha, pois ela é extremamente técnica, com muitos obstáculos e buracos que exigem habilidades mais avançadas.

A trilha deve ser iniciada ao amanhecer, já que o local é muito visitado por turistas que alugam os carros das agências especializadas em off-road, e para chegar em Castelhanos, é necessário cruzar a Ilha no sentido oeste à leste, pelo Parque Estadual de Ilhabela.

São 19 km de estrada de terra bastante sinuosa e difícil, onde você poderá observar pássaros de diversas espécies e a flora da Mata Atlântica. Em dias de chuva, há grande possibilidade de atolar o veículo, por isso, faça a trilha de preferência em dois carros, um com guincho, se for possível.

No início da estrada há o Parque Estadual de Ilhabela, lá é possível realizar um trekking na Trilha da Água Branca, mas a recomendação é que essa seja feita apenas na volta, pois assim é possível desfrutar das belas cachoeiras com mais tranquilidade.

Embora o percurso seja curto as dificuldades encontradas nele faz com que se gaste boa parte do dia percorrendo esse trecho. Do início, até praticamente a metade do trajeto, é realizado em uma subida sem grandes dificuldades. A medida em que o veículo sobe a serra a temperatura cai, um agasalho sempre a mão é uma ótima opção para não sentir o friozinho do alto. Chega-se a momentos em que a visibilidade diminui devido à neblina, mesmo nos dias ensolarados o pico da montanha fica, quase sempre, coberto por uma nuvem branca.

A descida é o ponto chave e mais difícil da trilha, pois o carro pode deslizar e em alguns momentos seu controle fica difícil. Descer do carro e montar a melhor estratégia para realizar o percurso se faz necessário em alguns pontos. Uma recomendação é utilizar reduzida, em marcha lenta e evitar o uso dos freios. Em dias de chuva há grande quantidade de lama, dificultando ainda mais a trilha.

Há grandes buracos e atoleiros o que requer muita habilidade do piloto. É necessário ter um navegador experiente e sempre manter o bom humor. Paciência e harmonia entre os tripulantes dessa aventura devem prevalecer.

Os facões (que são aquelas fendas extensas) compõem certos trechos e nesses casos é melhor analisar antes qual o melhor local para passar com o carro, pois em alguns pontos o nível de terra que fica no meio das fendas pode atingir a parte de baixo do carro e as pedras escondidas em meio à lama podem atingir o veículo e danifica-lo.

É possível encontrar na estrada algumas árvores caídas e carros vindos na contra mão, por isso, em alguns trechos onde não houver a possibilidade de avistar o caminho à frente, buzine para alertar sua passagem, assim é possível evitar acidentes.

Esteja sempre alerta ao percurso e às dificuldades que a trilha apresenta, treine as suas habilidades no 4X4, pois usando a tração o motorista terá maior controle do carro, já que o uso dos freios pode causar instabilidade e o carro pode vir a deslizar.

Quase ao final da trilha há a travessia de um pequeno riacho, desça do carro e analise o local, já que as modificações naturais pode ocorrer. Verifique o ponto cuja água esteja em menor de quantidade e onde não haja buracos.

Chegada à praia de Castelhanos e fim da primeira fase da trilha. Desfrute a beleza do local, descanse, pois ainda há a outra parte da aventura. A volta parece ser mais fácil que a ida, nesse caso dá para prestar mais atenção na paisagem em volta e na beleza variada da flora do local.

Não force o carro, sempre que achar necessário utilize a tração. A subida da volta é mais tranquila e a descida que vem logo depois pode ser realizada até para os iniciantes neste tipo de veículo, contudo sempre com a orientação de alguém mais experiência.

Um paraíso chamado Ilhabela

Água cristalina, areia branca, praias exuberantes e mata fechada. Esse paraíso, localizado a 230 km de São Paulo e a 350 km do Rio de Janeiro, atende a todos os tipos de gostos. Lugar perfeito para quem gosta de relaxar, mas ao mesmo tempo, um universo ideal para a prática de esportes de aventura. Assim é Ilhabela.

Maior ilha marítima brasileira, Ilhabela tem uma área de 352 km2 e cerca de 140 km de costa. São mais de 40 praias e 300 cachoeiras e poços, entre 14 montanhas, com altitude de 600 a 1.300 metros. Com 25 mil habitantes, a cidade tem população flutuante de 100 mil turistas durante o verão. O clima é tropical úmido e a temperatura média oscila entre 22oC e 28oC.

Na realidade, Ilhabela compreende várias ilhas e ilhotas, e também parte da Mata Atlântica. Mais de 85% da área é tombada e protegida pelo Parque Estadual de Ilhabela, criado em 1977.

Figueiras, paus-jacaré, guapuruvus, manacás-da-serra, quaresmeiras e bromélias são os principais representantes da flora regional. Na fauna, é comum encontrar o cururuá, um roedor arbóreo que vive nas restingas, além de macacos-prego, jaguatiricas, caxinguelês, teiús, e muitos tucanos, maritacas, tiês-sangue, jacus, tangarás, trincas-ferro, arapongas, pica-paus e macucos.

Como chegar

As principais vias de acesso são as rodovias Dutra, Ayrton Sena e Carvalho Pinto, no sentido São Paulo – Rio de Janeiro. Pela via Dutra, a 92Km de São Paulo, na cidade de São José dos Campos, fica o acesso a todas as cidades do litoral norte pela rodovia dos Tamoios. Também pode ser alcançada na extensão da rodovia Imigrantes, seguindo pela BR 101 Rio-Santos, no sentido de São Sebastião.

Outro caminho pode ser feito pela via Mogi-Bertioga, seguindo também pela Rio-Santos. Todas estas vias convergem para a cidade de São Sebastião de onde a travessia de balsa é feita regularmente a cada 30 minutos para Ilhabela. Também é possível o acesso por lanchas, iates e helicópteros.

Praia de Castelhanos

Sua extensão compreende cerca de 1.500 metros com águas límpidas e claras. É um convite ao mergulhadores para apreciar o maravilhoso mundo marinho existente no local. Para chegar lá, é necessário cruzar a Ilha no sentido oeste à leste, pelo Parque Estadual de Ilhabela.

Trilha da Água Branca

Trilha da Água Branca: possui estrutura com chuveiro, banheiro e fácil acesso aos 2145m de caminhada e muita diversão. Os aventureiros podem encontrar o prazer de nadar em águas cristalinas como ocorre no Poço das Pedras, a 100m do início da caminhada. Subindo um pouco, até o Poço da Escada é possível fazer ótimas fotos nas pequenas quedas d’águas.

Há alguns pontos de paradas estratégicas durante a caminhada, mas o turista não pode deixar de subir até a Torre de Observação dos Pássaros e apreciar o valioso canto de algumas aves

A recomendação é que se faça o trekking em silêncio, além de cumprir uma recomendação do local ainda é possível avistar alguns lagartos que ficam próximos à trilha. Na mata há uma variedade de espécies de plantas tais como a Avenca Brava, o Ipê Boia, o Pau Jacaré, Canela, Guapuruvu, bromélias, dentre outras.

Pontos chave: Ilhabela

Destaques: Praia de Castelhanos

Melhor época do ano: Julho e Agosto, em outras épocas do ano a quantidade de chuva é maior e dificulta ainda mais o percurso.

Dificuldades do percurso: Grandes erosões no local e facões dificultam o trajeto pela trilha, além das pedras escondidas entre a lama.

Indispensável: Carro com tração nas quatro rodas e muita disposição. Não esqueça de levar repelente. Ilhabela tem muitos “borrachudos”, principalmente nos locais mais afastados da cidades e ao final do dia. Além disso, tenha uma troca de roupa e um par de calçado a mais. A trilha de Castelhano tem muita lama, principalmente na época de chuva.

Recomendável: A trilha de Castelhanos tem 19 km, nível médio, sendo obrigatório um veículo 4×4 com bons pneus. Por isso, é recomendo que se faça o percurso em pelo menos dois carros e durante o dia. Inicie o percurso no horário da manhã e volte no final da tarde, pois muitos turistas visitam o local e o tráfego se torna um pouco mais intenso na volta.

Dicas e opiniões sobre o local: O lugar é muito belo e as dificuldades da trilha garantem a aventura.

Deixe um comentário